FORTES BATIDAS

Em cartaz há 3 anos, premiada Fortes Batidas retorna em janeiro de 2018 ao porão do Centro Cultural São Paulo, onde tudo começou

Com direção de Pedro Granato, experiência de teatro imersivo convida o público para dançar e acompanhar a noite de 15 jovens em uma festa. A trilha tem canções de Karol Conka, Beyoncé, Pablo Vittar e outros artistas que agitam as pistas da cidade

Foto de José de Holanda
Fotos de Sergio Galvão


Criada em 2015 em uma oficina aberta com nove meses de duração no Centro Cultural São Paulo (CCSP), Fortes Batidas conquistou os prêmios APCA (Melhor Espetáculo em Espaço Não Convencional) e São Paulo (Prêmio Especial pela Experimentação Cênica). Nesse longo processo criativo, o diretor Pedro Granato e um robusto time de atores pesquisaram como criar uma experiência imersiva de teatro. Depois de três anos de sucesso, o espetáculo retorna ao porão desse espaço para mais uma temporada entre os dias 23 de janeiro a 7 de fevereiro de 2018.

A montagem, que tem sua trilha sonora reformulada de tempos em tempos, já foi encenada em festivais, como o MIX Brasil de Diversidade Sexual e FIT São José do Rio Preto, e em vários equipamentos culturais, como unidades do Sesc (Pompeia, Sorocaba, Santo Amaro e Belenzinho), CEUs (Pera Marmelo, Três Lagos, Inácio Monteiro, Vila Atlântica, Perus, São Mateus), no Teatro Pequeno Ato, entre outros.

A peça acompanha a noite vivida por 15 jovens, cruzando desejos e entrando em conflitos embalados pelas “fortes batidas” das canções de Karol Conka, Beyoncé, Pablo Vittar e de outros artistas que costumam agitar as pistas da cidade. Amigos que apostam quem consegue ficar com mais meninas, um casal testando o relacionamento aberto e a dificuldade de um rapaz tímido ficar com alguém do mesmo sexo pela primeira vez. A explosiva mistura dos desejos de personagens em busca de sua identidade constrói uma rede de conflitos que envolve a plateia.

O público vive uma experiência que desenha um retrato pulsante dessa geração e coloca no foco questões importantes para toda a sociedade. A homofobia, machismo e intolerância sexual estão no centro do alvo dessas “Fortes Batidas”.

Os ambientes da balada são divididos em variados níveis de plataformas que possibilitam a visibili­dade para a plateia. Mas isso não impede que atores dancem ao lado público e se relacionem com ele criando uma experiência ativa, em que o espectador não “assiste” o espetáculo, está imerso nele.

Em 2017, o texto de “Fortes Batidas” foi lançado em livro pela editora Giostri. A nova temporada da peça é possível graças aos incentivos da 5ª edição do Prêmio Zé Renato de Incentivo ao Teatro.

Sobre o Teatro Imersivo
A experiência de teatro imersivo tem se espalhado pelo mundo todo com grandes êxitos como “Sleep no More” e “Fuerza Bruta” e aqui no Brasil a experiência do Teatro da Vertigem. Granato pesquisou essa vertente no Lincoln Center em Nova Iorque em 2014 com diretores do mundo todo, dentro do Directors LAB e construiu um espetáculo que aproxima a nova geração do teatro.

PEDRO GRANATO
O diretor, dramaturgo e professor de teatro Pedro Granato é formado pela Escola de Comunicação e Artes da USP (ECA-USP). Ele dirigiu o grupo IVO 60, contemplado cinco vezes pelo Programa Municipal de Fomento ao Teatro, e foi um dos diretores selecionados para o internacional Directors LAB, que ocorreu no Lincoln Center, em Nova Iorque, nos Estados Unidos, em 2014. Atualmente, dirige e administra o teatro Pequeno Ato e é presidente do MOTIN – Movimento dos Teatros Independentes de São Paulo.

Outras peças dirigidas por Granato são “11 Selvagem”, de sua autoria; “Até que deus é um ventilador de teto”, de Hugo Possolo; “Você não está Aqui”, escrita com Ricardo Malerbi; “As Lágrimas Quentes de Amor que Só Meu Secador Sabe Enxugar”, escrita com Paula Cohen; “Quanto Custa?”, de Bertolt Brecht (eleita como “melhor trabalho em espaço convencional de 2013″ no Prêmio da Cooperativa Paulista de Teatro); “Submarino”, de Leo Moreira;  “IL Viaggio”, de Marcelo Rubens Paiva; “Navalha na Carne”, de Plínio Marcos; “Criminal”, de Javier Daulte; “Sonho de Uma Noite de Verão”, de William Shakespeare; e “O Grande Mágico Mistério”, de sua autoria.

SINOPSE
Em uma festa para a qual o público também é convidado, quinze jovens tentam driblar a solidão com música alta e bebida. No meio da pista, amigos apostam quem consegue ficar com mais meninas, um casal testa seu relacionamento aberto e um rapaz tímido tenta ficar com alguém do mesmo sexo pela primeira vez. Estas são algumas das histórias que revelam um retrato pulsante da nova geração e colocam em pauta temas importantes para toda a sociedade, como homofobia e a intolerância sexual. A trilha sonora reúne canções de Pablo Vittar, Karol Conka, Beyoncé e outros artistas que costumam agitar as baladas da cidade.

FICHA TÉCNICA
Direção e dramaturgia: Pedro Granato
Cenário: Diego Dac
Assistente de direção e Iluminação: Gabriel Tavares
DJ: Pedro Augusto Monteiro
Coreógrafa e Stand-in: Inês Bushatsky
Assistentes de dramaturgia: Manuela Pereira e Natália Xavier
Produção: Contorno Produções e Pequeno Ato
Direção de Produção e Produção Executiva: Jessica Rodrigues e Victória Martinez
Atores: Ariel Rodrigues, Beatriz Silvei­ra, Bianca Lopresti, Bruno Lourenço, Felipe Aidar, Fernando Vilela, Gabriela Andrade, Ga­briela Gama, Gal Goldwaser, Inês Bushatsky, Ingrid Man­tovan, Laura Vicente, Lia Maria, Mateus Menoni, Mau Ma­chado e Vitor DiCastro.
Assessoria de imprensa: Pombo Correio

SERVIÇO
Fortes Batidas, de Pedro Granato
Centro Cultural São Paulo – Rua Vergueiro, 100 – Paraíso
Temporada: 23 de janeiro a 7 de fevereiro de 2018
Terças e quartas-feiras, às 20h
Ingressos: grátis, com distribuição de ingressos uma hora antes de cada apresentação.
Duração: 70 minutos
Classificação: 16 anos
Lotação: 150 lugares